domingo, julho 09, 2006

Indícios de caos - 6

Poesia é arriscar-se ao erro
sem blindagem ou armadura
não a procura da cor mais pura
mas no mais fundo fedido aterro

Irmanar-se à noite escura
sua lei por obscura requer
lâmina metal não por seu ser
recesso mas porque sua luz crua

limpa da enxúndia da cultura
dá-lhe a condição de inculta pedra
ou de coisa que sobrou impura

como este soneto de incerto
metro negra matéria negra
que toda a noite me traz desperto

José Luís Tavares, Agreste matéria mundo
(Porto, Campo das Letras, 2004, p. 72)

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Here are some links that I believe will be interested

9:36 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Very pretty design! Keep up the good work. Thanks.
»

10:10 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Interesting site. Useful information. Bookmarked.
»

4:48 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Site Counter
Bpath Counter

fugaparaavitoria[arroba]gmail[ponto]com