segunda-feira, dezembro 11, 2006

Do abandono da II República espanhola pelas democracias ocidentais

Foi recentemente publicado o livro La soledad de la República, do historiador espanhol Angel Viñas. Nele se abordam o 1.º quadrimestre da Guerra Civil espanhola, em especial as relações então entretecidas pelas principais potências euro-ocidentais com o Estado espanhol.
Uma das suas teses é que a II República acabou nos braços de Estaline não por afinidade ideológica mas sim pelo abandono a que foi votada por parte da França e Reino Unido. Segundo Viñas, esta última praticou inclusivamente uma "hostilidade encoberta" contra um governo democrático enfrentando uma sangrenta sublevação militar que teve logo o apoio de Mussolini e Hitler. Para tal recorreu a documentação, parte dela inédita, dos arquivos de serviços secretos soviéticos e britânicos. Este livro é a 1.ª parte dum grande fresco do autor sobre a Guerra Civil, que terá 3 volumes.
Tudo isto é referido na entrevista que saiu no El País de hoje (vd. aqui). Segue-se a recensão crítica de José María Ridao, com o sugestivo nome de «Reconstrucción del naufragio». Outra recensão, de Rafael Nuñez Florencio, encontra-se aqui.

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

arcondicionadoautomotivo e arcondicionadoautomotivo - arcondicionadoautomotivo - arcondicionadoautomotivo ; arcondicionadoautomotivo , arcondicionadoautomotivo arcondicionadoautomotivo e arcondicionadoautomotivo - arcondicionadoautomotivo - arcondicionadoautomotivo ; arcondicionadoautomotivo , arcondicionadoautomotivo arcondicionadoautomotivo e arcondicionadoautomotivo - arcondicionadoautomotivo - arcondicionadoautomotivo ; arcondicionadoautomotivo , arcondicionadoautomotivo

5:31 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Site Counter
Bpath Counter

fugaparaavitoria[arroba]gmail[ponto]com