sexta-feira, junho 16, 2006

Impressões de Londres II: o espantoso mundo do cartoon

Para o fim fica a melhor parte, ou seja, a referência a um novo espaço do cartoon em Londres, The Cartoon Museum, que abriu em Fev.º deste ano. Fica próximo do British Museum, tem biblioteca especializada, ateliers, mostra permanente e 2 temporárias. Destas (Marte no cartoon, a bd britânica) não gostei muito, mas a permanente vale o bilhete. Além da presença duma incrível máquina em acção do extravagante Rowland Emett (1906-90), conta-se a história do cartoon (sobretudo o inglês), desde William Hogarth (1697-1764) até ao ácido Steve Bell (n.1951). Dos trabalhos expostos destaco ainda os relativos a James Gillray (1756-1815), John Leech (1817-64, autor do 1.º cartoon da história, «Substance and shadow», os pobres vendo os retratos dos ricos num museu...hoje é a classe média...), David Low (1891-1963, autor do célebre «All beyond you, Winston [Churchill], 1940, com o governo de coligação marchando, alinhado a seu lado e por detrás), Paul Crum (1906-42), Pont (1908-40), o fantástico Carl Giles (1916-95), Ronald Searle (n.1920, que lembra o nosso Augusto Cid), o acutilante Ralph Steadman (n.1936, que lembra o nosso Vasco de Castro: vd. imagem, tal como Gerald Scarfe), Chris Riddell (n.1962) e David Levine (n.1926).
Para 2006 estão previstas mostras sobre a London Life (vd. o cartoon dos soldadinhos insufláveis de Sua Majestade, do gozão H. M. Bateman, 1887-1970), uma antológica dedicada ao imensamente terno Mel Calman (1931-1994; abre a 6/IX; vd. aqui «Hapiness») e outra sobre os 45 anos da revista satírica Private Eye.
Próximo fica tb. The Political Cartoon Gallery, só com 1 mostra temporária e o aperitivo da zona de bebidas pintada por Steve Bell.
E assim fica desenhado um pouco do invejável itinerário londrino do cartoon. E por cá, de que se espera para criar um espaço dedicado aos nossos novos Bordalos, para além do museu quase invisível que existe em Sintra?
PS: obra de ref.ª a comprar - John Geipel, The cartoon. A short history of graphic comedy and satire, Londres, David and Charles.

4 Comments:

Anonymous Ze said...

também existe um quase invisivel no Porto... mas as "forças vivas portuguesas" vão muito á bola... mas não com o Cartoon, porque será?
Os senhores jornalistas do teclado só aceitaram o Cartunista no Sindicato depois de 25 de Abril de 1974...

5:33 da tarde  
Blogger Daniel Melo said...

Será por iliteracia visual ou mau oftalmologista?

O operário estava acima do intelectual-escriba, e este acima do artolas, será isso, uma questão de escadinha de legitimidade revolucionária?
Ou, tão-só, inveja da destreza alheia?

2:44 da manhã  
Blogger bruno cardoso reis said...

Caro Daniel

Antes disso havia algo parecido, embora pequenino, e apenas com exposições temporárias, no Brunswick Centre, na praça do mesmo nome, que fechou há um ano quando começaram as obras no dito. Lembro-me de ver lá uma exposição de excelentes cartoons de Blair.

Mas é bom saber que, sendo continuação ou não, há um sucessor.
Vou ver se a tese me deixa tempo de o visitar e perceber se é esse o caso. Obrigado pela recomendação.

7:26 da tarde  
Blogger Daniel Melo said...

Caro Bruno:

Infelizmente, não cheguei a conhecer essa galeria do Brunswick Centre, mas recomendo vivamente a galeria de que falo e, ainda mais, o museu. A mostra «London Life» estrear-se-á aí a 6/VII, a do Mel Calman a 6/IX.
Será um bom intervalo merecido na tese, estou certo.

Na blogosfera, julgo que é tb. nossa obrigação darmos a conhecer aquilo que gostamos e achamos bom, senão serão sempre as mesmas sugestões de kits turísticos da imprensa a ocupar o espaço todo.
Não cheguei a falar do Churchill Museum, são tantos museus, vou ver se arranjo tempo, entretanto.

Boa estadia!

9:58 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Site Counter
Bpath Counter

fugaparaavitoria[arroba]gmail[ponto]com