terça-feira, outubro 17, 2006

Microcrédito, grandes oportunidades

O Prémio Nobel da Paz deste ano foi atribuído ex aequo a Muhammad Yunus e ao Banco Grameen, de que é fundador. O de Economia fora já para Phelps, alguém que dedicou grande parte da sua pesquisa a estudar o desemprego. Prova de que a Academia Sueca está atenta ao trabalho que aproveita a muitos, a muitos e desfavorecidos.
O microcrédito é uma área ainda descurada no seio das políticas laborais, sociais e económicas internacionais (sobre Portugal vd. aqui), embora seja um dos instrumentos mais válidos para uma política transversal e esteja bem 'cotado' entre os cientistas sociais. Aqui alude-se a um estudo que avaliou positivamente um projecto de microcrédito no Vietnam, apoiado pelo Programa para o Desenvolvimento das Nações Unidas. É a prova de que com pequenos empréstimos se podem abrir oportunidades antes insuspeitas a muitas pessoas, pessoas que não teriam outra hipótese de obter crédito. E assim, reduzir a pobreza e conferir mais coesão à sociedade.
Sobre o papel do bengalês Yunus, vale a pena ver o blogue do Observatório da Rede Europeia Anti-Pobreza/ Portugal (sobretudo aqui, aqui, aqui , aqui e aqui). Vd. tb. este post de Miguel Madeira.
E devia ter falado tb. do Nobel da Literatura, o turco Orhan Pamuk, eu que sou acérrimo defensor da entrada da Turquia na UE, mas o tempo voa.

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

micro-bengala premiada

4:04 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Site Counter
Bpath Counter

fugaparaavitoria[arroba]gmail[ponto]com