sábado, novembro 18, 2006

Aldina Duarte: regresso ao amor e à esperança

M.F. (Aldina Duarte, popular- fado menor)
Na memória uma voz triste
Não pára de me dizer
Tudo aquilo que hoje existe

Um dia há-de morrer

Eternamente a tristeza
Prevalece desmedida
Qualquer coisa de beleza
Em de haver p’ra além da vida

Devagar o esquecimento

Persuade o coração
Na corrida contra o tempo

Volta sempre a solidão
O concerto foi esta noite, na Culturgest. Sala cheia. Momentos cintilantes.
Aldina Duarte aproveitou para lançar o seu novo álbum, o belíssimo Crua, e retomou canções antigas como a do poema cima, do anterior álbum Apenas o amor.
Os concertos prosseguem no Porto (Casa da Música: 19/11), Aveiro (Teatro Aveirense, 2/12) e Viseu (Teatro Viriato: 15/12), segundo o blogue da cantora, inserto no site.
O site tem as músicas, letras, pensamentos, citações e o mais que percorre a vida desta grande fadista. Que nos diz: "Regresso ao amor e à esperança necessários e ao prazer possível neste mundo estranhamente cruel em que estamos a viver. Volto para quem me espera, porque as coisas verdadeiras são para toda a vida e não precisam de justificações!".
Nb: foto de Isabel Pinto.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Site Counter
Bpath Counter

fugaparaavitoria[arroba]gmail[ponto]com